quarta-feira, 11 de maio de 2011

Leveza

O espírito errante
dentro e fora ,
imerso nesse coração
que outrora sofreu
e tanto amou ,
hoje traz uma saudade leve ,
uma docilidade intempestiva
dos prazeres que deixou a desejar ,
dos desejos que esqueceu-se de tomar
e reaver e hoje , não mais escravo ,
se liberta de si mesmo.

Na leveza desse jardim interno
corre solta a poesia
na lida diária ,
nos tempos e no momento
em que a alma vibra e ,
por uma única vez que seja ,
sente-se não mais presa
mas sim , rica e nobre.

É dessa luz deixada pelo amor feliz
que a redundância dessas palavras
abdica seu trono da ilusão
e abre-se de novo ,
enfeita o dia ,
faz a melodia outra ,
as palavras diversas ,
a canção mais querida ,
e a poesia avisar
que logo chega a primavera.

Nenhum comentário:

Postar um comentário